quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Vergonha tricolor



Ih, pai... Teu time, para mim, que sou colorada comprada com saco de balas – tu bem sabes disso -, vai de mal a pior. Agora, o técnico [ou professor] é o Renato Portaluppi. Ou Renato Gaúcho. Aliás, aquele outro gaúcho, mais jovem e ainda jogador, também está nessa história que vou te contar.

Creio, que o futebol do clube tricolor deve ter alguma influência com numerologia, astrologia ou similares. Nos últimos meses, dois desportistas cujos nomes começam com a letra R, são alvo das páginas de esportes dos tablóides do Sul. Engraçado. Os mesmos caras também se intitulam Gaúcho. O outro criou até uma marca: R10.

Não sei qual novela é a maior e mais divertida para nós, colorados. Se a do técnico ou do jogador. Teu time pai, tirou o professor do Bahia, na segunda divisão, quando ainda corria risco de descer. Ele veio para o Sul e fez exigências de rei. Não poderia se diferente. Renato Gaúcho sempre foi arrogante, teve aquela empáfia no campo e agora fora dele.

Pai, o cara ganha quase meio milhão de reais, passagens aéreas e auxílio moradia. Quando chegou a Porto Alegre, os trouxas, digo, torcedores, foram recepcioná-lo no aeroporto. Até seu neto, o Marlon, saiu da aula correndo e foi pra lá, esperar o cara, que nem deu os “ares” para o público. A maior palhaçada José. Mas o pior de tudo foi hoje. Ele se diz cansado demais para acompanhar o time [reserva] nos jogos do gaúchão pelo interior. Afirma que é capaz de comandar a equipe a distância. Pior! Só quer treinar o plantel de segunda a sexta-feira... O fim da picada, velho!

Já o R10 teve participação especial num novelão de final de ano. O empresário e irmão do atleta, Roberto Assis, ficou leiloando o passe do guri para três times: Flamengo, Palmeiras e..., claro, o Grêmio. Nem preciso te dizer o final né pai?! Nariz de palhaço para todos vocês, gremistas. Eu diria que agora, o cara poderia se chamar Ronaldinho Carioca. É rubro negro.