segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Sete décadas

Pai, deve estar ligado que hoje é o aniversário da mãe. Se em vida nunca esquecia a data, nesta sua outra vida, também deve lembrar. Pois então. Foi bem legal, velhinho. Não teve festa, mas comemoramos.

A sua irmã, Iara Madalena, ofereceu um almoço para a mãe - e quem ela quisesse convidar para a ocasião. Grupo seleto meu paiaço, mas bem estruturado. Só tinha peso pesado no restaurante. A começar pelos seus netos e a namoradinha do mais velho, até as tias velhas. Um barato...

É meu velho: 70 anos! Tu passou por isso meu velhinho. E, certamente, se estivesse aqui entre nós teria dado uma festa para a mãe. Uma grande festa... E teria sido muito mais legal, pois, tu sabia fazer o esquema, paiaço. E ainda estaria entre nós.

Mas isso não é mais possível nesse prisma. Então, vivamos aqui e tu ampara daí. E que venham muitas outras primaveras para a Odete, sempre com saúde e harmonia. Oxalá, meu pai!