quarta-feira, 16 de março de 2011

E olha lá...

Pai, de repente me deu uma saudade aguda. Daquela que lembra o abraço de boas vindas, cada vez que chegava em casa, no amanhecer de uma viagem de 500 km. Eu te acordava velhinho e ganhava beijo babado também.

Sábado a Mara teve aqui em casa, pai. E ela disse algo que relutava a aceitar. Depois que vocês se vão, a dor da ausência demora a passar. Leva um tempo para a gente se habituar. No mínimo um ou dois anos. "E olha lá..."