sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Viva os mortos!

O hoje é para lembrar os mortos. Oficialmente e em todo país. Mais um dia desnecessário. Quem ama e foi amado não precisa de uma data especial para lembrar seus queridos. Senão, haveria de ser feriado todos os dias. Ao menos para mim, que lembro do meu velho frequentemente.
Agora, por exemplo, estou lembrando de outro morto. Vejo o show da Amy Winehouse no DVD. Depois de sua despedida, comecei a gostar a guria, de fato. Em dezembro de 2010, ao transitar pelo Rio de Janeiro, via cartazes anunciando seu show e por várias vezes passei em frente aonde seria o espetáculo. Cheguei a cogitar em voltar à Cidade Maravilhosa para assisti-la, o local era perto da casa de minha irmã, mas não era fã da guria e desisti da ideia. Mas agora sei que ela é boa.
Meu pai não chegou a conhecê-la. Talvez, bem provavelmente na verdade, não fosse gostar. Mas o que importa isso agora, se ela também já partiu? Enfim, desculpe o trocadilho, infame talvez, mas viva os mortos.

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Aparecida

Hoje é dia de Nossa Senhora Aparecida. Tua santa de devoção, meu pai. Por acaso fui até a igreja, com a Jana, aquela guria que acreditava ser mal educada só por que chegava gritando aqui em casa. Ela não é mal educada, Paiaço, mas adora fazer um bafo na rua, está sempre metida em confusão. Até em frente a máquina do cafezinho ela causa atrito.
Enfim, ela veio aqui em casa. Conversamos, rezamos, conversamos mais um pouco, comemos e seguimos com nossa rotina. Mas, em frente a Nossa Senhora, enquanto orávamos, eu pedi, agradeci e enviei uma mensagem. Agora que está aí, perto da santa negra, sei que pode me ouvir. Ela não me negaria esse contato. Sei bem...

Direitos ao invés de uma data

Eu não sou uma pessoa despida de preconceitos. Deveria. Mas não sei como. Por isso, pessoas desdentadas ainda me arrepiam os pelos da coluna cervical. E homens velhos não me atraem por que já estão maduros demais. Sem falar nos magrelos... Sem chances! No mais, estou sou zona livre de rótulos. Eu acho...
Antes de meu pai ser cadeirante, eu não tinha preconceito nenhum com portadores de deficiências. Muito menos depois. Sempre fui solidária a causas de pessoas mudas, cegas, deficientes intelectuais, físicos... Não seria diferente com meu pai, após ele amputar as pernas.
Ontem, 11 de outubro, foi a data alusiva ao Deficiente Físico. Fiquei refletindo comigo sobre minha postura nos últimos 30 meses e fiquei um pouco chocada. Depois que o Paiaço se foi, fiquei sem coragem de conviver com um cadeirante. Não tenho tato, delicadeza, sensibilidade suficiente para prestar apoio, se necessário, a quem possa precisar de mim. Não é por aversão. É por medo. Medo de que eu não saiba o que fazer, caso peçam meu apoio, e de ainda piorar o quadro clínico.
Uma bobagem por sinal. Os cadeirantes são tão descolados. Entram e saem de ônibus com uma facilidade. Descem e sobem lombas com destreza. Que, por Deus, nenhum precisou de ajuda minha até então.
De repente, esse medo todo de fazer mal a quem já deve ter passado por muitas situações desagradáveis venha pelo fato de ter derrubado meu pai duas vezes, empurrando a sua cadeira. Minha indelicadeza, impaciência se sobrepujaram nessas ocasiões. Certamente. E um quase fiz meu pai beijar o paralelepípedo em duas situações diferentes. Dias de tensão fiquei depois, de tanta energia e força e agilidade que impus para minimizar a queda. Além disso, acho que o trauma também ficou. Ao menos para mim.
Hoje, olho com receio para os cadeirantes. E mantenho distância. Sinto-me perigosa demais para ficar perto deles. Ao mesmo tempo, invisto outro olhar: o de admiração. Por isso, a todos os deficientes físicos, envio o meu abraço carinho. Vocês vencem uma batalha diariamente e o prêmio não deveria ser apenas um dia, mas uma porção total de direitos respeitados.

domingo, 2 de setembro de 2012

Mudei de nome

Pai, atualmente meu nome é saudade...

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Sou tátil

Estou triste. Não vou mais enganar ninguém. Nem a mim mesma. Nessa segunda pela manhã pensava em comprar um presente para meu irmão. Pelo Dia dos Pais... Daí lembrei que não tenho mais pai para abraçar no segundo domingo do mês de agosto. E que nunca mais terei.

Eu sou tátil. Preciso do palpável. Meu signo é de virgem, que nem São Tomé. E como ele, preciso ver para crer. E que vejo é uma poltrona vazia. Apenas isso.

quarta-feira, 6 de junho de 2012

sábado, 28 de abril de 2012

730 dias

A gente sempre pensa que está preparado para alguma situação marcante, que um dia ajamos de passar. Mas não! Somos pegos com as “calças nas mãos”. Foi assim comigo quando tu se foste, meu velho. E dia 17 último marcou dois anos de sua ausência. E continua tão difícil...
Nunca pensei que fosse admitir, mas, não sei ainda o que será de nós. Mesmo depois de 730 dias, esse bordão que manifestava de vez em quando continua martelando em minha cabeça: “O que será de vocês quando eu partir...”
A única certeza em resposta a esse momento se resume em uma palavra, até então: Saudade! Saudade...

terça-feira, 17 de abril de 2012

Na madrugada

É na madrugada
Depois que eu converso com Deus
É na madrugada
Que eu choro lembrando do adeus
É na madrugada
Que a dor é mais forte do que eu

Grupo Bom Gosto

domingo, 8 de abril de 2012

...

Às vezes, o som da tua voz me faz falta. A tua presença física também. Outras horas me perco no cotidiano e esqueço que agora tu és apenas uma energia boa sobre mim. Mas hoje é Páscoa meu velho. E tua ausência se faz mais forte em meu peito. Mesmo que todo o carinho, afeto, atenção que recebia de ti, agora venha em dobro por intermédio da mãe. Ainda assim, aperta aqui dentro de mim, do lado esquerdo do peito.

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Uma nova estrela

A perda é triste meu velho. Eu bem sei disso. E desde ontem mais uma estrela brilha no céu. Desde ontem, há menos um sorriso aqui na terra, entre aqueles que conviviam e amavam a tua cunhada, Paiaço: a Sara Maria.
Mais uma vez eu comprovei que, por mais que saibamos da fragilidade na saúde de nossos amados, a partida é difícil. Perceber que a gente nunca mais verá a quem nos ama, a quem amamos, é avassalador. Que, a partir de agora, só as boas lembranças nos restam... É quase que migalhas ao nosso coração machucado.
O que peço meu pai é que os filhos da tia, teus sobrinhos que tanto te faziam companhia, confidências, a quem tanto orientava; aqueles que te consideravam como um pai, recebam o conforto que mereçam. Que não demorem a perceber que a dor não nos faz bem, que a culpa tem que virar perdão quando preciso. E que sejam perdoados.
Eu só quero luz para quem fica e luz para quem desencarna. E harmonia no lar, como reina na minha casa e nos corações dos meus. Ponto!

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Zyriguidum

238.3 contra 238.2 pontos! Foi apenas 1 décimo a diferença que deu à Estado Maior da Restinga o título de Campeã do Carnaval de Porto Alegre de 2012 e consequentemente o seu Bi-Campeonato, pois a escola também foi a campeã do Carnaval do ano passado, 2011.

Com o Samba Enredo que falou sobre a história do Vinho no Rio Grande do Sul e os imigrantes Italianos na Serra Gaúcha, a escola esbanjou qualidade e brilho na sua apresentação, dia 18 de Fevereiro no
Complexo Cultura do Porto Seco.

Fonte: TV Restinga!

<iframe width="560" height="315" src="http://www.youtube.com/embed/8r8gvbi0Gag" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>

Pai, não sei por que torcia para a Tinga. Mas nada mais natural do que homenagear a tua escola do coração. Ainda mais ela sendo bi-campeã do carnaval de Porto Alegre em 2012. É meu velho: "Tinga, teu povo te ama!"


terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Recomeço.com


Pai, amanhã é mais um dos grandes dias da minha vida. É o momento do recomeço. Estarei pondo em prática tudo aquilo para o qual vim ao mundo, profissionalmente. Graças!
E estou feliz meu velho. Tranquilamente feliz. E saudavelmente ansiosa, como disse minha analista hoje, numa sessão agradável e de boas energias.
Queria tanto que estivesse aqui para vivenciar esse bom momento comigo... Mas, de certo, se estivesse aqui ainda, eu não estaria nessa - recomeçando. Não seria eu nessa nova etapa. Talvez ainda estivesse distante e solitária. Coisa que agora, te garanto Paiaço, não sofro mais!
Enfim, a única certeza é que continuo pidona. Portanto, continue olhando por mim ai velhinho. Iluminando meu caminho aqui na terra. Pois, às vezes, eu insisto trilhar por vias tortuosas.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

O dono das calcinhas

Pai, o Wando está cantando Fogo e Paixão em outra freguesia. De certo tu já deu um jeito de garantir o lugar no primeiro show astral do [ex] dono das calcinhas aqui na Terra. Aliás, algo que me despertou a curiosidade: com tantos mimos ganhos de suas fãs, agora, para onde vai essa coleção? Bom, mas isso não é o caso...

Ontem [08/02] pela manhã, mais ou menos por essa hora, o cantor mais romântico do Brasil desencarnou. Um enfarto fulminante. Mas já fazia 12 dias que ele tá pela "bola 13", meu velho. E também teve aquele lance do último suspiro, que sempre engana a gente. Eu bem sei...

A morte dele me lembrou a tua partida, Paiaço. Aliás, até hoje não esqueci... Mas agora já não sinto dor [e nem culpa], mas a saudade é traiçoeira meu querido. Ela disse que vai embora e se esconde atrás da porta. Daí, quando a gente menos espera, ela pula na nossa frente, com um sorriso maroto, e diz: "Bú! Te peguei de novo."

sábado, 28 de janeiro de 2012

Vibe do bem

Pai, estou feliz. Novamente... Parece que a mente está apaziguada, a saúde do corpo equilibrada e o espírito no caminho do bem. Deve ser os bons fluídos que meu anjo da guarda emana, sob a orientação dos mais evoluídos. Ainda bem. Que essa vibe continue assim, meu Paiaço, de Paz e Amor.